A indeterminação do agente no português falado

Objetivo: estudar as várias formas de indeterminar o  agente e as motivações semântico-pragmáticas de cada uma.

Grupo 1: Lauro Rafael, Tuyra e Sílvia.

Grupo 2: Samuel Freitas e Camille Feitosa

 

Bases teóricas: funcionalismo givoniano ou hallidayano. 

Áreas: sintaxe e discurso

Textos indicados: 

A indeterminação em português: uma perspectiva diacrônico-funcional - tese de Doutorado de Carmen Maria Faggion Bento GONÇALVES (UFRS, 2008)

Uma análise comparativa das construções de indeterminação na fala e na escrita - artigo de Juliana Esposito MARINS e Maria Eugênia L. DUARTE 

Variação histórica nos mecanismo de determinação - artigo de Carmen Maria FAGGION

Abrangência pessoal dos processos de indeterminação do agente - artigo de Heloísa Marques TUPINÁ

Questões sobre a indeterminação do agente - artigo de Gredson dos SANTOS

 

 

      

Contacto

Sala de Aula Virtual Av. da Universidade, 2683 33667625/33667624 claudete@letras.ufc.br